Pequenas Empresas – Grandes Negócios

Chaveiros 24 horas exigem pouco investimento e oferecem bons lucros
Com R$ 500 já é possível montar um chaveiro. Serviço funciona 24 horas e demanda de rapidez e técnica.

Montar uma loja que fabrica chaves 24 horas exige pouco investimento e oferece bons lucros ao empreendedor. E o cliente agradece.
Na loja do empresário Cláudio Gonçalves se faz qualquer tipo de chave: de casa, de carro, quadrada, redonda, antiga, nova, tetra. A empresa tem um estoque estratégico de mais de 2 mil chaves diferentes.
Um dia Cláudio Gonçalves decidiu fazer chaves. Ele juntou as economias, alugou um pequeno espaço, comprou o equipamento, montou o próprio chaveiro e não parou mais. Um investimento de R$ 1 mil que se transformou em um negócio que já dura 12 anos e atende mais de 3 mil clientes por mês.
Cão é estratégia de marketing
Para atrair os clientes, o empresário tem uma estratégia de divulgação curiosa. Ele fica na frente da loja com um cachorro pit bull distribuindo cartões. “As pessoas acham tão diferente que acaba olhando para dentro da loja. Elas veem que é um chaveiro e que tem um pit bulll e acabam conhecendo o negócio”, explica Cláudio.
Para fazer uma chave, o empresário gasta em média R$ 0,90 com matéria-prima. E vende a chave a R$ 5. Claudio também afia alicates e faz carimbos. Esses dois negócios aumentam em 50% o faturamento da empresa, que chega a R$ 10 mil por mês.
“Eu vim fazer uma chave e descobri que tinha carimbo. Acabei fazendo aqui justamente pelo atendimento”, conta o cliente Wanderson Cardoso.
Outro segredo para o negócio dar certo é a localização. O chaveiro fica em um uma região onde o fluxo de pessoas é grande, bem no Centro de São Paulo. Com o movimento constante, o atendimento é dia e noite, além de ser rápido.
“Em qualquer horário que o cliente chegar para fazer uma chave, temos como atendê-lo. Muitos chaveiros têm só plantão, mas nós ficamos 24 horas de portas abertas”, diz Cláudio Gonçalves.
Agilidade no serviço é essencial
A agilidade no serviço é essencial porque muitos serviços são de emergência. Com três motos, a empresa de Cláudio Gonçalves presta socorro em toda a cidade. O chaveiro gasta em média 20 minutos para chegar até o cliente.
“Eu cheguei ao meu trabalho, olhei na bolsa e cadê a chave? Aí, liguei para ele, que em dez minutinhos chegou e já abriu a porta”, relata a cliente Nilda Santos.
Fonte: Pequenas empresas e grandes negócios 23/05/2010